NA AES

“Inovação é processo”, diz presidente da AES Eletropaulo

Sexta-feira, 24 Fevereiro de 2017

Como maior distribuidora do Brasil em termos de energia distribuída, a AES Eletropaulo atende hoje mais de 1,5 mil unidades consumidoras por km², o dobro da distribuidora com segunda maior densidade em área de concessão do Brasil. Assim, a inovação possui um enorme impacto sobre os processos da empresa e sobre os seus milhões de consumidores. O presidente da AES Eletropaulo, Charles Lenzi, explica como esse processo de inovação acontece, quais os principais focos de interesse, e como é possível inovar no dia a dia, nos diferentes níves da organização.

“A inovação para a Eletropaulo é extremamente importante”, diz Charles. “Como parte da nossa estratégia, temos dado ênfase a uma série de áreas que julgamos importantes. Hoje, nosso foco tem sido melhorar as operações, a relação com os nossos clientes e a prestação de serviço.”

“Dentro desse escopo, eu diria que, focando na operação, existe uma série de iniciativas que temos tomado, relacionadas, por exemplo, a melhorar a confiabilidade da nossa rede elétrica e automatizar processos”, diz Charles. “Estamos investindo muito na parte de smart grid, que são as redes inteligentes, e no conjunto de ferramentas de analytics que nos ajudam a interpretar todos os dados que temos do sistema elétrico, fazendo com que possamos ter uma gestão mais eficaz das operações e dos nossos ativos.”

O presidente da AES Eletropaulo fala da tecnologia de sensores e outros equipamentos que são capazes de identificar pontos de falha na rede, por exemplo, facilitando assim o trabalho de correção, em casos de falta, além de permitir uma análise mais ampla do sistema e do comportamento do consumo em escala. “Uma das frentes que temos trabalhado na AES Eletropaulo é a forma como atendemos, de forma mais rápida e eficaz, eventuais intervenções necessárias na rede. Todas essas opções estão relacionadas a novas tecnologias, com mais automação e mais capacidade de análise dos dados que temos, que nos permitem tomar decisões mais adequadas para fazer uma gestão mais eficaz e ágil de nossos ativos. Isso vai na linha de satisfazer a necessidades dos clientes com um suprimento de energia mais confiável, seguro e sustentável.”

Esses benefícios incluem a relação direta com os clientes. “Um exemplo é a questão do on site billing (ou conta instantânea), que foi implementado na Eletropaulo”, diz Charles. “É uma mudança muito significativa no processo, que tem a ver com a leitura e a entrega de contas e o faturamento da energia elétrica para cada consumidor.” Ele explica a diferença entre o método antigo e o novo, e como isso se relaciona a um processo inovador. “No passado, esse era um processo demorado, constituído de várias visitas ao cliente. Hoje, através do uso de tecnologia, ao mesmo tempo que lemos conseguimos emitir a conta para o cliente no momento em que é feita a leitura da medição de energia elétrica. Isso proporciona um ganho não só de agilidade e velocidade em relação ao tempo de resposta que damos, mas certamente implica também em uma maior proximidade com o cliente e uma maior qualidade desse processo. Esse é um grande exemplo de inovação que também traz benefícios diretos para os consumidores.”

Para o presidente da AES Eletroapulo, a sociedade verá grandes transformações no setor elétrico nos próximos cinco e dez anos, principalmente uma mudança no sentido de o consumidor ganhar uma posição ainda mais central. “Em função de todo esse processo de mudança, em que o consumidor passa a ter um poder de decisão muito maior do que tinha no passado, um poder de escolha muito maior, e uma demanda por serviços muito maior, o setor muda de maneira muito significativa.”

“Paralelo a isso, existe uma série de tecnologias, como o smart grid, a geração distribuída, a Internet das Coisas, o próprio armazenamento de energia, o uso de baterias (energy storage)… Uma série de tecnologias novas que vão efetivamente mudar a forma como se faz a distribuição de energia no setor elétrico.

Outra ferramenta importante que eu tenho convicção de que será muito utilizada pelos clientes é a possibilidade de fazer um uso mais intensivo de metodologias e tecnologias de eficiência energética, no sentido de poder tomar a decisão a respeito de um consumo de energia mais organizado, mais racional, que tenha mais eficiência. Por outro lado, observamos também uma grande tendência no sentido de se desenvolver veículos elétricos.”

Inovação cotidiana

Charles explica a importância de a organização manter uma atitude inovadora em todos os seus quadros, o caráter processual da inovação, e como isso se realiza dentro da AES Eletropaulo. “Eu acho fundamental trabalharmos essa questão, e de uma maneira que busque desmistificar um pouco a questão da inovação. Eu acho que a inovação é fundamental para qualquer negócio hoje, em especial para o nosso negócio, que está em grande transformação”, diz Charles. “No caso da AES Brasil e da Eletropaulo, esse é um pilar importante da nossa estratégia. E precisamos, de certa forma, estimular que as pessoas dentro da organização, em todos os níveis, entendam que a inovação é um processo de geração de ideias, de busca por novas formas de fazer as coisas, de busca por metodologias, por tecnologias, por melhoria dos processos, enfim, que as pessoas sejam curiosas e tenham a iniciativa de propor novas formas de fazer aquilo que está sendo feito no dia a dia.”

“Isso vai desde o nosso leiturista, nosso eletricista, até o nosso departamento de engenharia. Não é uma questão exclusiva de se buscar coisas completamente diferentes, fora do convencional. Nós não estamos aqui querendo desenvolver novas formas de fazer viagens espaciais. O que queremos fazer é buscar maneiras de atender melhor os nossos clientes, de sermos uma empresa mais eficiente, que presta um serviço de qualidade superior. Esse é o grande objetivo. E para isso nós precisamos criar mecanismos dentro da organização que estimulem as pessoas a se envolver com esses temas no seu dia a dia e possam ter a oportunidade de sugerir, de dar ideias, de propor melhorias. Só assim vamos conseguir inovar.”

“A inovação é um processo”, diz Charles. “E ele começa com um estímulo a que cada pessoa dentro da empresa sinta que tem o poder e tem o dever de contribuir com sugestões e com ideias para que possamos fazer diferente e melhor aquilo que estamos fazendo no dia a dia. Por mais simples que sejam as ideias, são elas que vão contribuir para que possamos ser de fato uma empresa inovadora e que atenda bem seus consumidores.”

Procura parceria para investir em novos negócios ligados ao mercado de energia?
Fale com a gente.
Posts Relacionados
X Tem dúvidas, comentários e sugestões? Conte para a gente!


Mensagem enviada com sucesso FECHAR